Simples menção a autoridade com foro privilegiado não é suficiente para deslocar competência

Para a Quinta Turma, a eventual mudança posterior da competência não prejudica a validade dos atos praticados pelo juiz que, até então, aparentava ser o competente para o caso.

Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para aprimorar sua experiência de navegação.